ARTE TERAPIA

Aqui no Colégio Lima Cavalcante, seu filho terá oficinas de Arte Terapia com a psicóloga Tatiane Terezo e a psicopedagoga e arte terapeuta Sueli Cavalcante!

 

  • Como se dá o processo?

Todos os alunos são estimulados a participar de simulações / brincadeiras onde podem observar suas
reações características diante dos conflitos, aprendendo mais sobre as suas respostas emocionais. As
crianças passam a entender as dinâmicas das interações sociais, desenvolvendo um novo repertório que o
tornará mais habilidoso nos relacionamentos, logo mais aberto e preparado para os desafios do aprender.

 

  • Quais são os benefícios?
    Desenvolvimento de Habilidades:
    Visão mais decidida sobre si
    Tornando-se mais confiante e seguro
    Aumento da percepção nas relações
    Postura assertiva (agir em vez de reagir)
    Melhora nas relações em grupo/equipe
    Atenção concentrada que proporcionar uma melhor assimilação dos conteúdos didáticos

 

  • Técnicas Aplicadas

A arteterapia nada mais é do que uma disciplina híbrida cujas bases residem nas mais variadas formas de
arte e também da psicologia, sendo uma forma de terapia que procura aliar e extrair o que há de melhor,
tanto nas artes de um modo geral, quanto na psicologia. Utilizando todos os recursos artísticos (musica,
colagem, argila, pintura, brincadeiras, jogos, teatro etc) para alcançar o objetivo proposto.

 

  • Saiba Mais:

Entendendo nossas emoções: Por definição, uma emoção é uma percepção que se expressa através de
uma reação física.

Consideremos a reação física no encontro de amigos e inimigos. Ao ver nossos amigos nos sentiremos felizes, experimentaremos reações agradáveis como relaxamento, já com o inimigo, nosso corpo reagirá com
musculatura tensa e coração acelerado e sentimentos de fuga ou confronto.
Reagimos segundo as nossas percepções. Infelizmente ao longo de nossas vidas podemos ter criado ou herdado percepções distorcidas da realidade.
Concluímos que as respostas emocionais estão condicionadas a percepção que os indivíduos têm de si e do outro. Para mudarmos estas respostas é necessário promover uma mudança no nosso sistema de crenças e
desenvolver habilidades que nos permitam aprender novas formas de agir e não reagir às situações. Assim consideramos Educação Emocional como o processo de desenvolvimento de habilidades de relacionamento
interpessoal (socializar, compartilhar, cooperar, aproveitar as oportunidades, esperar a vez, crescer com estrutura psíquica fortalecida e ser capaz de tomar boas decisões) Cada vez mais a neurociência comprova o que a filosofia há milênios já afirmava, que sentimentos e emoções têm papel relevante na capacidade de pensar, decidir e se relacionar, e que a inabilidade nos mesmos
acarreta fraco desempenho cognitivo, crises no campo profissional e desordens emocionais variadas. Naturalmente, todas as pessoas vão adquirindo um repertório socialmente habilidoso nas mais variadas interações e em contextos naturais sem treinamento formal, seja ele no lar, na escola, no trabalho e ou na comunidade, no entanto falhas ocorrem neste processo de aprendizagem, ocasionando déficits relevantes na capacidade de relacionamento interpessoal.
Para suprir este déficit foram desenvolvidas técnicas que estimulam nossas crianças ao aprimoramento
dessas habilidades. Através de vivências repletas de situações que exigem respostas emocionais e avaliações
constantes das convicções as crianças adquirem um repertório valioso para lidar com as adversidades.

”Acreditamos que pessoas que conseguem conviver e se relacionar de forma assertiva, contribuem para um ambiente saudável e cordial onde quer que estejam. Na escola ou em casa conseguem desempenhar de forma satisfatória suas
funções e de um modo geral propiciam uma valorização substancial do patrimônio humano. ”