Hapkido

Existem diversas versões com relação à verdadeira origem do Hapkido, de certo modo todas não fogem de uma mesma realidade.

Não é errado dizer que o Hapkido tem uma origem de 4.300 anos, mas na verdade ele se concretizou muitos anos depois após diversas invasões japonesas. É por isso que devemos começarmos o estudo desde aquela época, há aproximadamente 668 d.C., durante a unificação de três reinos “Kokuryo”, “Paekche” e “Shilla” sob comando da Rainha Chin Heung, que unificou os três reinos.

Uma época bárbara onde apenas sobreviviam os mais fortes e mais preparados, em guerras sangrentas entre povos vizinhos como os Mongóis e os Chineses. Para garantir a sobrevivência e a segurança da Rainha foi selecionado um pequeno exército de combatentes, homens fortes e de um grande conhecimento de técnicas milenares de defesa com mãos vazias e armas como lanças, espadas, montaria e outras técnicas, como a contenção de respiração por vários minutos e grande poder de concentração e controle do corpo, chamados Hwarangs.

Recebiam esse nome porque em fase de preparação, a maioria de seus ensinamentos foram no templo Budista Hwarang, onde além de aprenderem a dominar o corpo, aprendiam literatura, ética e filosofia. Essa técnica se desenvolveu por muitos anos se transformando no que conhecemos hoje como Hwarang-do, sendo a base inicial do desenvolvimento de todas as Artes Marciais Coreanas e principalmente o Hapkido atual.

Esses homens muito bem preparados defenderam o reino por muitos anos, de revoltas internas e inimigos externos, mas com o tempo, com certas mudanças no sistema político-cultural com a nova Dinastia “Yi” e o surgimento do Renascentismo (importante período para as artes e escritas). Trazido pelo povo europeu, essas técnicas marciais começaram a ser banidas da península coreana pelo próprio Reino coreano, por se tornarem banais perto da introdução da pólvora vinda da China. Com isso os Hwarangs e seus grandes Mestres acabaram sendo banidos para as montanhas em templos e ficaram por lá por muitos anos.

De 1567 a 1608, a Coréia sofreu duas grandes invasões do Japão, liderados pelo legendário Shogun Hideyoshi Toyotomi. A intenção do Japão era invadir a China, um país que lhes traziam grandes ameaças, devido ao seu tamanho potencial. Hideyoshi pede autorização ao Reino coreano para entrar em seu território e atacar a China, mas como a Coréia havia selado a paz e tinha boas relações com o país vizinho, não autorizou. Então em 24 de abril de 1592 o Japão invade a Coréia com 158.700 homens. A Coréia consegue resistir com a ajuda da China e seus Generais, mas na segunda invasão em 19 de março de 1597, a Coréia é minada e enfraquecida.

Nesse meio tempo o Rei Sonjo (Coréia) pede mais uma vez a ajuda de militares chineses e seus conselhos, entre eles haviam Mestres Shaolins como Niu Shu Zheng e Hei Hu Li. Esses generais sabiam que entre o exército coreano ainda se praticava o Tang Su (defesa com pés e mãos) e pediram a presença desses Mestres. Fizeram alguns desafios para se comparar as duas técnicas e a Arte Shaolin foi suprema. Com alguns conhecimentos chineses, alguns Mestres coreanos desenvolveram o Kwonbop Subak técnicas de agarramento e projeções. Depois da invasão, muitos desses Mestres foram levados em cativeiros no Japão.

“É importante notar que essas técnicas que foram desenvolvidas vãs aos poucos formando o conjunto do Hapkido”.

Em 1790 visto a vulnerabilidade da Coréia o Rei Chongjo da Dinastia “Li”, ordena o retorno dos Hwarangs de seus templos e pede a seus Mestres Lee Dok Um e Park Jae Ga, passarem todos os seus conhecimentos para quatro livros. O “Muye dobo tongji”, o primeiro livro fala sobre as técnicas de lança de bambu longa e curta; o segundo livro são técnicas de Kum ou Gum, espada com um só corte e com dois cortes; o terceiro livro trata-se da montaria com uso da espada o “Bong sul” e finalmente o quarto livro as técnicas Kwonbop Subak, citadas anteriormente.

Com isso a prática das Artes Marciais retorna a Coréia, sendo trabalhadas e desenvolvidas até o surgimento do Subak-do (Tipo de Judô, arremessos e chaves); o Tang Su (Bloqueios e ataques com as mãos e os pés) e Taekyun (Chutes altos e baixos – Base do Taekwondo) praticado desde a Dinastia “Yi”, sendo essas artes marciais originadas dos antigos Hwarangs.

A história continua após a terceira grande invasão do Japão a Coréia em 1907, onde chegamos ao legendário Choi Yong Sul, que aos três anos de idade foi levado ao Japão em cárcere, sendo adotado por Sogaku Takeda, o único representante da família do Daito Ryu-Aikijujitsu, e recebe o nome de Hioshida (Choi foi proibido de falar o coreano). Choi nesse meio tempo de prática do Daito Ryu-Aikijujitsu conhece uns dos alunos mais graduados de Takeda, o Sensei Murihei Ueshiba (fundador do Aikido). Aos 39 anos, após a morte de Takeda, Choi se torna um de seus sucessores.

Ao final da Segunda Guerra Mundial e devido à crise pós-guerra do Japão, Choi retornapara Coréia, em Taegu, sua terra natal, começa a ensinar para um pequeno grupo de pessoas sua arte denominada YAWARA. Desse grupo inicial podemos destacar Suh Bok Sup, o primeiro aluno de Choi que já praticava o Yodo, espécie de judô coreano, Ji Han Jae e Kim Moo Woong. Kim Moo Woong tinha praticado o Tang Soo Do, que já era praticado na Coréia desde 1944, estilo “Chung Do Kwan”, fundado por Lee Won Kuk e oriundo do “Tang Su”. A arte Marcial ensinada por Choi que também passou a ser chamada “YU KWON SUL” não tinha chutes, foi introduzido posteriormente por influência do Tang Soo Do praticado pelos seus próprios alunos e ainda teve alguma coisa do yodo.

“Percebam que nesse sistema existem, em sua maioria, artes marciais originadas dos Hwarangs”.

Em 1948, Choi com 44 anos começa a ensinar essa Arte Marcial a qual ele passou a chamar de Hapkikwonsul e depois em 1957 juntamente com participação efetiva de Ji Han Jae de HAPKIDO que mais tarde inclui técnicas de ataques com mãos vazias, Dang Bong e Jang Bong. (HAP – conjunto, harmonia; KI – energia interior; DO – caminho, escola).

Em 1963 esses seus alunos e outros como Joo Bang Lee, Kwang Wha Won, Hwang In- Shik, In Hyuk Suh e Hwang Ki fundaram em 1963 a Korea Hapkido, que mais tarde sob o comando de Ji Han Jae e Kim Moo Wong se tornou a Korea Hapkido Association – KHA.

Hoje em dia, existem várias ramificações e estilos oriundos desta associação e muitos desses Mestres fundaram seu próprio estilo, como Sin Moo Hapkido (Ji Han Jae), Kuk Sool Do (In Hyuk Suh), Tang Soo Do (Hwang Ki), Hwarang Do (Joo Bang Lee), Moo Sool Kwan Hapkido (Kwang Wha Won) que mais tarde se transformou no Hoi Jeon Moo Sool, criado por um dos alunos de Kwang, Mestre Myong Jae Ok.

É interessante saber que, a KHA manteve o Hapkido Tradicional e com o tempo foi desmembrada na Kido e na Korea Hapkido Federation. Mas devido à opinião difusa entre os dois irmãos “filhos” da KHA, Myong Jae Ok e Myong Jae Nan, fora desmembrada novamente na Internacional Hoi Jeon Moo Sool e na Internacional Hapkido Federation (Hapkido-Hankido-Hankundo). Nesse intermédio tivemos a fundação da World Hapkido Association, tendo como responsável o Grão-mestre Hwang In-Shik.

Hapkido no Brasil

Alguns professores coreanos chegaram aos Estados Unidos no começo da década de 60 para ensinar o HAPKIDO, entre eles os Mestres Hwang In-Shik e Ji Han Jae, e na Austrália o Mestre Sung Soo Lee. Além deles, foram enviados pela Korea Hapkido Association quinze de seus membros a Guerra do Vietnã para uma demonstração a tropas coreanas, americanas e vietnamitas do sul, um deles foi o Mestre Jung Mam Kim, que então abriu as portas para o Ocidente.

No final da década de 60 chega ao Brasil o Mestre Lim, que se instalou na Bahia. Logo após, Mestre Kang Byung Hak chegou em São Paulo. Por não terem vindo oficialmente ao país, estes dois Mestres tiveram dificuldades de darem continuidade nos seus ensinamentos.

Em 1972 chega oficialmente em São Paulo o Mestre Park Sung Jae, mandado na época por um dos grandes lideres da Korea Hapkido Association, Grão Mestre Myung Kwang Sik, que comandava a sucursal Norte da KHA em Seul. Park veio representando o Hapkido Jung do Kwan, “Tradicional”, “mais próximo do Tang Soo Do”. Após a morte de seu antigo Mestre, Park se torna 9º Dan o grau mais elevado na América do Sul na época.

Apresentado por um grupo de Aikido, foi convidado especialmente para dar aulas ao Exército Brasileiro, tendo iniciado seu trabalho no 2o GCAM90 – Quitaúna. Alguns faixas-pretas formados nessa época continuam treinando, ensinando ou supervisionando o trabalho do Grão-mestre Park, como o Mestre Guilherme Cauzin, Ramos e o Mestre Marcílio Nogueira, hoje a frente da Associação Nacional de Hapkido Tradicional e da Liga Nacional de Hapkido. Mestre Park ainda teve passagem pelo Círculo Militar de São Paulo e várias academias na capital paulista, fundando a Associação Brasileira de Hapkido e a Federação Paulista de Hapkido.

Em 1978 o Mestre Park Kyu Jae vem ao nosso país com a missão de continuar o trabalho de seu irmão, com um estilo mais suave e mais circular o Hoi Jeon Moo Sool. No ano de 1980 chega o Mestre Yun Sik Kim trazendo para o Brasil o Hapkido da Escola Bum Moo Kwan.

O número de praticantes no Brasil vem crescendo bastante com destaque especial para São Paulo, mas precisam se unir mais ainda para o fortalecimento desta nobre Arte Marcial. Hoje em dia o Hapkido é uma das Artes Marciais mais poderosas que existem, com sua diversidade, possui em média 3.860 técnicas de defesa pessoal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *